Tremor

Talvez fosse cedo demais

Para não dizer nada

E o silêncio azul claro

Daquela cidade

Não afastava nem um segundo

O terremoto

Era tarde

Muito noite

Distraída saudade

Liquidificada no vazio

Das eletricidades invisíveis

Acendendo as pequenas lâmpadas

De dentro

Quarenta velas

Pouco calor

Manta de brisa

Quase nuvem

Neblina emprestada

Das ruas

De dias atrás

De anos

Até de séculos

Desfeitos num só pedaço

De tempo

Explodindo 

Tudo.

Anúncios

Sobre Michelle Ferret

Escritos em dias de azuis despedaçados, frases repartidas, pedaços inteiros de mundo ...
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s