Arquivo do mês: outubro 2011

  Quando as cidades não moram mais na gente Os sentidos se desgastam com maior facilidade É o devaneio da calma que desperta os dias E não o contrário Meias cidades também se abraçam E se mudam Embaladas em frágeis … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Chão

Fico tateando no escuro Esse amor Tonto Vertigem de dentro Ao contrário Escasso Depois preenche tudo Feito maré em dias de lua Feito saudade quando é interrompida Feito semente Saliva Tinta fresca nas paredes da vida Desbotamento solitário Dos detalhes … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Continentes

Crédito de foto: Vasco Abrunhosa Tão morte Tão vida Os navios sonham Atracados Desejando o mar Suas âncoras Ferrugem de sal e saudade Desmancham o peso na água Em forma de países Tais quais os mapas Rachados Suas veias abertas … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Céu

Os fios atrapalharam o céu deixaram riscos inteiros no percurso entre os olhos e as nuvens deu vontade de estender os pensamentos mas é sempre melhor passarinhos

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Vela e Chuva

Nessa loucura de ser gente… http://www.youtube.com/watch?v=h4aajpM5wXs&feature=player_embedded#!

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O Livro dos Abraços de Eduardo Galeano: pequenos textos incendiários sobre o mundo

“Um mar de fogueirinhas”… Assim o escritor uruguaio Eduardo Galeano descreve o mundo no primeiro capítulo de sua obra “O Livro dos abraços”. Editado pela L&PM em versão ‘pocket’, o livro é resultado das andanças de Galeano pelo mundo e … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Marcado com , | Deixe um comentário